Gerlandy Leão

Dona SerpenteNada como o primeiro post. É nele que se justifica o título e o porquê de se ter um blog. Aí a gente deve ter todo aquele cuidado de escrever certinho, mas realmente não é bem o que eu pretendo. Espero neste espaço apenas publicar algumas palavras que tenho escritas em papel qualquer. Há algum tempo penso em ter um blog mas a falta de assunto ou mellhor a falta de vontade de expor o que escrevo não me encorajava muito.

De algum modo, nos últimos dias fui tomada pelo desejo de cuidar de um. Talvez poucos virão aqui e pouquíssimos retornarão, afinal tem tanta coisa boa por aí. Mas é sempre bom manter a casa limpa, vai que a visita chegue a qualquer hora sem aviso.

Um grande passo para eu decidir ter um blog foi realmente pensar no que publicar. É comum lermos uma espécie de diário pessoal on line, ou blogs especializados em um determinado assunto, mas não interessei-me por nenhum desses. Pensei em mostrar pequenas histórias, isso mesmo, algum conto e inspirado em alguem muito especial: EU. Porque eu vejo tanta coisa e vivo outras que pensei por que não registrá-las?

As pessoas costumam dizer que suas vidas dariam um filme ou uma novela, eu acho q a minha daria um livro de contos, pronto. As histórias não são tão longas e nem conseguem prender atenção do outro por muito tempo para um desfecho, por isso é melhor não cansar ninguém. Em outras palavras pretendo falar algumas coisas que já me ocorreram ou que eu já vi ocorrer com alguém, todavia não pretendo fazer deste espaço um termômetro de minha vida, onde as pessoas possam ter idéia de como estou me sentindo. Então tudo pode variar, pode ter sido algo que me ocorreu ontem, ou hoje, ou ainda nem ocorreu, ou até nunca ocorrerá, confuso né?

Melhor passar para a próxima fase, a justificativa do tema, ou será título? isso mesmo título. Porque quanto a assuntos, com certeza é o que não vai faltar. Mas o título “CONTOS DA SERPENTE”, pode ser estranho ou pelo menos exigia um conteúdo mais rico, mas ora minha vida é rica, minha visão também, as coisas ao meu redor também então tá.

A Serpente é realmente baseada no Jardim do Éden, aquela que conseguiu seduzir Eva e convencê-la a comer o fruto proibido, mas não é meu intuito falar de pecados. Eu só gostei da idéia.

Aquela serpente é um ser que sempre me chamou atenção, devido o seu poder de mesclar mentiras e verdades na sua fala. Ela fala à mulher: “ Deus te disse que morrerá caso coma do fruto? pois eu te digo que ele não quer que você coma porque você se tornará como ele, sabendo o que é o bem e o que é o mal”. Eva não deu tanta atenção às palavras da serpente e só atentou para a frase, “será como Deus”. Bem, a serpente não estava falando totalmente a verdade nem totalmente a mentira. Embora seja complicado falar em meias verdades, mas se eu acredito em meias mentiras também poderia acreditar em só um pouquinho de verdade. Sim, porque a mentira tem a sua importância para todos nós, ela equilibra as coisas, mas claro que nada em excesso. Digamos assim, eu desprezo os mentirosos, mas como diz Adriana Calcanhoto “ eu não condeno mentiras…”.

Por isso escolhi esse título, não que eu tenha a maestria daquela companheira da Eva, mas porque embora me faça protagonista de algumas histórias (mesmo sem o meu nome), eu tenho o poder de modificar início, meio e fim.

Quem me ler saberá muito de mim, ou talvez nem tanto.

Anúncios