Gerlandy Leão

 

 simone.jpgEntão chegou o fim do ano.

Dezembro é dezembro pelo menos 20 dias antes do início do mês quando as ruas já estão enfeitadas para vender. O povo, o comércio insiste em terminar o ano antes do tempo.  É assim com todas as datas, mas natal é pior. Não se preocupem, este não é mais um daqueles artigos falando que o natal é comercial, isso você já sabe, na verdade nem eu sei sobre o que é. Ta é meu primeiro post do mês de dezembro e embora tenha dito que meu blog não é termômetro da minha vida, de como me sinto, sou levada pelo o que ocorre, e estamos em natal. Todo lugar enfeitado de vermelho e verde, as musiquinhas mais chatas da face da terra, acho que não perdem nem para as músicas de carnaval.

 

Dezembro! Dezembro é um mês bem chato, principalmente para quem é estagiário ou trabalha como cooperada como eu, logo não temos direito a 13° salário. Vejam que sofrimento, todo mundo pagando as continhas ou mesmo fazendo novas e eu juntamente com meus colegas escragiários, nos contentamos em chupar o dedo, porque nem dindin para comprar um pirulito Pop dá.

 

Eu nem queria mesmo. Cresci sem comemorar natal por nascer em uma casa que sabia que o natal tinha origem pagã. Nós éramos     os únicos cristãos que não comemoravam natal. Sim, pois sabíamos que este lance de nascimento de Jesus tinha sido uma grande jogada, ouvíamos até que a origem das bolas de natal eram cabeças de pessoas que eram arrancadas e colocadas numa grande árvore, em regiões que as pessoas dançavam ao redor cultuando o deus-sol. Cristão que é cristão não comemora natal. A própria bíblia que os cristãos tanto se baseiam, não cita data de nascimento de cristo, cita o dia da morte 14 de nisã, mas nascimento. EU não tenho textos para citar aqui sobre natal pagão, ta certo eu fico devendo algo, vou escrever a respeito, ou melhor, vou nada, é só digitar no deus google (ele se tornou nosso deus agora) e procura a verdadeira história do natal.

 

Papai noel outra figurinha adorada por crianças apesar de deixar de acreditar lá pelos 8 anos, só me lembro de 3 referências a ele. Uma foi porque o filho da mãe só visitava a casa de uma vizinha chata na esquina. Toda vez eu via ele chegando puxando um saco e eu não sabia porque de lá ele não descia para minha casa. Outra vez deixei meu tênis na janela, sério, ouvi aquela musiquinha. Coloquei lá, dormi tranquilamente crente que amanheceria com um presente dentro do meu tênis. Mas nada. Minha mãe sorriu de mim quando eu falei, não entendi o porquê do riso. Lembro outro momento de acordar numa manhã do dia 25 com um troço embaixo do meu travesseiro. Quando olhei era um conjuntinho de cozinha, para brincar de casinha. Saí correndo para encontrar minha mãe e saber quem me dera, ela insistiu que tinha sido papai noel, todos insistiram que tinha sido papai noel. Mas já era tarde, não acreditava mais. Só muitos dias depois com muita insistência descobri que tinha sido uma vizinha, uma senhora que gostava muito de mim e eu dela. Ela pediu à mamãe que não dissesse que tinha sido ela, queria incentivar minha imaginação. Não sou contra o papai noel por isso. Acho até legalzinho realmente essa imaginação, e esse brilho nas crianças. Mas o perigo é que quem pode se veste de papai noel e agrada aos filhinhos, quanto aos demais ficam sofrendo. De qualquer forma cada um alimenta como bem quer a sua casa.

 

Lá em casa era assim. Não tinha esses lance de árvore, bolinhas, presépios, ceia, nada nada. Não temos obrigação de dá presente em datas estipuladas pelo comercio. Eu senti falta muitas vezes, é certo, mas aprendi a entender. Não estou dizendo que não posso presentear pessoas atualmente, mas independe do natal. O lance é que nos sentimos influenciada por esse espírito, ta chegando fim do ano mesmo, aí vem aquele espírito melancólico de o tempo ta passando.

Se você como eu não liga muito para esse negócio deve aproveitar o natal como eu. Lanchando na casa de algum amigo ou assistindo filmes, porque dormir não dá, já que todos nossos vizinhos estão acordados ouvindo aquele somzinho, afinal há coisas mais interessantes do que ouvir a Simone cantar “Então é natal”. Por falar em filmes, sei que existem uns bem enjoadinhos, mas tem uns maravilhosos que eu adorei e recomendo.

a)      Edward – mãos de tesoura: Quem não assistiu este filme? Acho que todos. Johnny Depp, naquela história mágica, sinistra, linda e emocionante;

b)      O estranho mundo de Jack: É animado e de Tim Burton o mesmo diretor deste acima, então já dá p imaginar que não podia ser diferente. O filme é maravilhoso com o famoso” que é isso?”. O encontro de Jack com o natal mostra como nem sempre dá certo esse lance de negar sua cultura. Tem momentos super empolgantes como “Pega o papai Cruel, bata ele bem, deixa ele descansar na linha do trem”;

c)      Esqueceram de mim: Me dêem desconto. É uma bela lembrança da infância. E vamos e convenhamos era super divertido ver o Joe Pesci apanhando para a o Calkin. Prova de que a inteligência é superior à força.

d)      Simplesmente amor: Uma comédia romântica de múltipla história lindíssima. É sim aquele que tem o Rodrigo Santoro. É bom para relaxar e pensar no amor;

e)      O Grinch: È Jim Carrey mas não dá para saber que é ele, um ser que vive no lixo. Uma das melhores críticas ao natal. “Vocês onde vai parar esse monte de presentes que vocês compram todo ano? NA MINHA CASA. NO LIXO?”.

f)        Os fantasmas contra atacam: Como sempre é ótimo ver o mal humorado Bill Murray num papel mal humorado, criticando também o natal e ao mesmo tempo fazendo uma análise sobre sua vida passada e futura. É ele vive viajando com a ajuda de fantasmas no futuro e no passado, já dá para saber porque eu gosto né? Sou fã de viagem ao tempo;

g)      Enquanto você dormia: uma das minhas comédias românticas preferidas. Uma história simples, sem grandes pretensões, mas tão singela. Dá uma paz muito grande ver aquelas trapalhadas. Bill Pulman e Sandra Bulock, geralmente sem sal, fizeram um bom casal;

h)      Feliz Natal: taí um típico filme que pelo título deve-se imaginar que se trata de uma história boba, mas se trata de um delicioso filme francês. Assisti recentemente essa história que fala sobre a primeira guerra mundial, em uma noite de natal em que escoceses, alemães e franceses, dão uma trégua e comemoram juntos o natal. È aquela história: amanhã eu te mato, mas hoje vamos cantar “Noite feliz!!!”. Se a grana tiver curta, assista pelo menos este.

É, não tenho muita opção para dezembro, a não ser ficar andando de confraternização em confraternização, comendo, dançando, e me divertindo, ou fazer uma caridade que deve ser feita o ano todo. Mas é que só em dezembro a gente tem um dinheirinho por causa do 13°. Xi, ia esquecendo, não tenho isso. Então plagiando a idéia do meu amigo Aarão (veja http://bibliomutante.wordpress.com/2007/12/11/colabore-com-o-meu-natal/), convido você cristão a alegrar

meu natal.

 

 inspiração: Ah não preciso falar né?

Anúncios