Gerlandy Leão

pessoa suspirando

pessoa suspirando

Chegou dizendo que se sentia como uma pré-adolescente. Na verdade parecia uma personagem saída de algum livro romântico encontrado em bancas de revistas e sebos. Rodopiava e sorria: – Que estranho. Acho que to apaixonada.

A ouvinte acha engraçado: – Por que acha isso?

– Porque estou estranha. Vivo suspirando, cantando e desenhando bobagens por onde passo. Não paro de pensar nele.

– Tá doida? Tá assim desde quando?

– Pouquíssimo tempo.

ele te ligou?

– hã?

– ele te ligou de volta.

– Não ficamos. Na verdade nosso contato não passa de aperto de mãos ou quando ele pega no meu ombro e poucas palavras trocadas.

– Não to entendendo. Você disse que está apaixonada por alguém que não se relacionou? Quantos anos você tem? Doze?

– Eu sei amiga, é estranho mesmo. Sempre fui racional, mas isso não ta me fazendo mal. Apenas penso nele o tempo todo e isso me faz bem. Deito e penso no rosto dele, quando o vejo sinto uma dor tão forte no peito e meu coração dispara. Minhas mãos tremem e eu pareço uma retardada sem conseguir expressar uma palavra. Mas sinto uma vontade de chegar até ele e abraçá-lo e ficar com ele por muito tempo só para que eu possa sentir o seu cheiro.

– Nossa senhora. E o que tu vai fazer para conquistá-lo?

– eu? Nada. Ele tem namorada, já foi conquistado.

– Namorada?

– Sim. As únicas informações dele que sei é o nome, onde trabalha e que tem uma namorada. Acho que é feliz porque me contagia com seu jeito. As vezes o observo enquanto está ocupado, mas disfarço quando vira pra mim. Gostaria de inventar inúmeras desculpas só para poder vê-lo mais, só que tenho vergonha.

– Você ta retrocedendo. Tem que falar com ele.

– Tá louca? O que eu diria para ele? Eu nem sei te dizer uma qualidade dele para justificar porque o olho. Existem pessoas que eu diria: é bonito, é engraçado, ou é inteligente, ou porque é talentoso, ou é trabalhador, ou isso e aquilo. Dele eu nada sei o que dizer. O que sei é que quando se aproxima da minha pele eu tremo e ele tem o cheiro mais agradável que sinto. Sinto o seu cheiro de longe.

– Então pergunta para ele qual o perfume que ele usa.

– Não viaja. Falo do cheiro, essência dele. Lembra daquele filme Perfume? Pois é, eu sinto isso. O cheiro dele me fascina.

– Mesmo assim, ainda acho que devia dizer a ele que…

– Dizer que to apaixonada pelo cheiro dele?

– Não sei. Diga que quer ele.

– Mas não é isso. Não quero ficar com ele, pelo menos, acho que não e mesmo que quisesse não faria nada . Acho que se eu ficasse iria estragar tudo. Quero que ele seja feliz e não vou fazê-lo feliz. Ele pode casar, ter filhos, ter uma bela família. Não e não. Sei que não conseguiria fazê-lo feliz.

– Está sendo masoquista.

– Não. Estou sendo altruísta. Gosto de gostar dele e de saber que ele está bem. Gosto de pensar na felicidade dele. Gosto de imaginar como seria se ele me quisesse. E imagino nós dois deitados e ele fazendo carinho em mim, imagino nós dois dormindo. Imagino apenas olhando para ele e não dizendo nenhuma palavra. Poderíamos apenas nos comunicar pelas mãos depois de horas de carinho, beijos. Sabe, não consigo imaginar como chegamos a esse ponto, só imagino a gente deitado. É como no vestibular que eu só conseguia imaginar comemorando a aprovação. Queria evitar a prova. Assim é com ele. Imagino-o me beijando o corpo todo e eu querendo que a noite não acabe.

– E deve imaginar fazendo papai e mamãe. Que brega!

– É, eu sei. Por isso gosto de pensar. Se isso acontecesse de fato estragaria tudo. Ele é tão lindo. Não me chamaria atenção se fosse em uma festa. Não tem beleza padrão nem clássica, mas o acho lindo. Acho lindo como ele olha, como sorrir. Ai, estou até imaginando seu rosto agora. Mas o mais forte é o poder que exerce sobre meu olfato e meu tato. Dos meus sentidos preferidos falta o paladar. Falta eu provar o seu sabor.

– Mas será que ele nunca percebeu?

– Acho que não.

– Talvez ele pense que você é muito doida e…

– Talvez ele nunca tenha pensado em mim.

– Oh amiga.

– Não se preocupe. Estou ótima. Já disse o sentimento é meu e eu gosto de gostar dele.

– Mas ele não dá nenhuma atenção a você?

– A gente fala esporadicamente, o que já é suficiente para eu ficar bem. Claro que  preferia poder olhá-lo todo dia. Uma vez ele ficou frente a frente comigo na janela de vidro. Com os braços abertos, me olhou rapidamente e fez até uma brincadeira, algo que não lembro, algo como: “eu queria ter coragem”. Mas não lembro exatamente de suas palavras, as palavras são que menos importam. Atentei-me mais para o seu olhar e os braços na janela. Eu quis levantar da cadeira e dá-lhe um beijo. Ele tem a boca linda, te disse?

– Não

– Pois é. Deve ser uma delícia. Um dia observava fixamente para sua boca e não resisti. Escrevi num pedaço de papel “Tenho vontade de te…”.

– Pensei que tivesse atacado. E o que ele fez?

– Eu atacar? Não me conhece? Sou uma presa com muito orgulho. Ele me pediu para completar, mas eu não consegui. Não insistiu muito e deixou pra lá.

– Que insensível.

– Nem tanto. Uma vez ele me disse que eu estava bonita e eu perguntei: por que? Ele disse que é porque eu não estava com a maquiagem borrada como nos outros dias.

– Insensível, insensível. Se bem que isso é um sinal que pelo menos ele te observa.

– Prefiro não.

– Por que?

– Porque já disse, só quero gostar dele. É minha paixonite platônica, se realizar perde a graça. Você sabe, não vai durar muito, nunca dura tanto. O gostoso é imaginar como seria bom. Eu to feliz, pois adoro o cheiro dele.

Apêndice:

Quando eu era criança/adolescente tive algumas paixões platônicas. Não podia namorar, era muito séria além de ter vergonha devido a síndrome de patinho feio. Quem nunca passou por isso? De deitar pensando em alguém. É uma fase gostosa. Uns trabalham para conquistar, outros  se colocam no lugar de presa e esperam milagres, outros tentam esquecer, outros esperam esquecer, outros apenas curtem o que sentem, nem alimentando nem maltratando. Eu adoraria que eles soubessem que um dia dormi pensando neles e sobrevivi.

Ensaio para o blog

Anúncios

Gerlandy  Leão


– Vem gostosa, vem… Me fala vai, diz que eu sou gostoso.

– Gostoso, meu gostoso.

-Quem é o teu homem?

– É você

– Fala vai, fala sacanagem que eu quero ouvir. Me fala vai, me fale sobre suas fantasias.

– Hã?

– Quero ouvir você falar sobre suas fantasias.

Tenta ignorar e sorrir levemente.

– Por que você ta rindo?

– Ah, por favor não corta o clima. Ta tão gostoso.

– Me fala, por que riu?

– Ah, não. Não faz isso. Eu sorri porque a frase foi engraçada. É estranho você tentar dialogar uma hora dessa. Esqueça isso, me beija.

– Só quero saber sobre suas fantasias.

– É você! Você é minha fantasia.

Para bruscamente e a encara indagando: – Isso é uma fantasia?

Ela ainda empolgada ignora: – Cala boca, me aperta vai.

– Não quero enquanto não me falar a verdade sobre suas fantasias.

– E eu não quero diálogo, eu quero você.

– Não disfarça, todo mundo tem uma fantasia.

– Já disse é você.

– Não pode ser. É a coisa mais sem graça que já ouvi. Você não confia em mim? Não tem noção como é broxante ouvir que a minha gata não tem fantasia.

Pensou que broxante mesmo era ter de ouvir: “Me fale sobre suas fantasias” em hora inapropriada.

– Mas eu não quero conversar, eu quero é…

– Das duas uma: ou você está me escondendo algo, ou é tão sem graça que nem consegue imaginar uma. Não sei o que é pior.

Ela enrola-se no lençol e senta-se à beira da cama enquanto brinca com a sandália no chão. Fica indecisa entre calçar e não calçar, falar e não falar. Mordisca os lábios impedindo que saia uma palavra.

“Fantasias existem várias, mas não consigo pensar muito nisso. Só penso em algo especial que direciono a uma pessoa que não sai da minha mente nos últimos dias. Sei tão pouco dele, mas em meus sonhos ele me quer. Ele é puro, sério e vai se casar. Adoro provoca-lo encarando-o. Gosto de passar perto e saber que ele olha pra mim. Eu o desejo tanto. Imagino que um dia, no intervalo não sei onde, mas em um lugar impossível de sermos vistos nós nos realizaríamos quando nos encontrássemos. Ele pensaria que seria uma mera coincidência aquele lugar, aquele horário, só nós dois e eu usando vestido. Bobinho, tudo milimetricamente armado apenas por mim, pois não é bom ter cúmplices, eles sempre abrem o bico. Olhamos para o lado e percebemos que só tem nós dois. Ele ainda hesita e fala: “Ai meu Deus!” Lembra-se da namorada no estacionamento o aguardando para o almoço. Ele tem medo e eu lhe cito a Bíblia: “Os covardes não herdarão o reino dos céus.” Não é covarde e me ataca jogando-me contra a parede levantando o meu vestido. Sustenta-me segurando minha bunda com suas mãos e deixando minhas pernas penduradas ao encaixar minhas coxas em seu corpo para que eu não caia. Beija-me o pescoço e olha mais uma vez para o lado certificando não haver ninguém. Afasta a minha calcinha e me encara removendo a mecha de cabelo caída no meu rosto para que possa fitar no fundo dos meus olhos. Encosto minha cabeça em seu ombro enquanto solto gemidos que depois serão abafados por sua boca deliciosa. Propositalmente tento morder-lhe os lábios, propositalmente enfio as mãos por baixo de sua camisa e lhe arranho as costas. Sustento-me no chão e me viro, ele me empina enquanto apoio minhas mãos na parede como se fosse abraça-la. Ele abraça minha cintura com uma mão e com a outra enrola meus cabelos puxando minha cabeça para trás enquanto me beija. Ficamos naquele movimento delicioso quando finalmente conseguimos nos satisfazer. Ele morre e descansa o corpo sobre o meu ainda em pé de frente para a parede. Entre o reino do céu e o último gemido, passam-se pouquíssimos minutos, mas suficiente para nos saciarmos. Apoiado sobre a parede enquanto ainda respira ofegante, retiro-me sem me despedir. Quando finalmente percebe minha ausência pergunta-se o quer fez. Encontra a namorada no estacionamento aborrecida pelo atraso. Ela é tão linda e perfeita que ele não consegue encarar esse presente de Deus. Não conseguiria mentir por muito tempo e confessa que estava com outra mulher. Ela para o carro, grita, agride e o expulsa enquanto ele chora e pede perdão dizendo que a ama, foi apenas uma cilada do inimigo. Depois da persistência ela o perdoa e me chama de vadia, puta, vagabunda e demônio. Perdoa com a condição de que nunca mais me veja. Os dois se abraçam e oram. Daqui um ano estarão casados frequentando o culto dominical. Ele vai me evitar sempre, evitará até lembrar de mim, mas de tempo em tempo ela o fará lembrar para que sempre se arrependa daquele almoço e sempre peça perdão. Mas viverão juntos por muito tempo, se serão felizes, não sei.”

Assusta-se quando é tocada no ombro:

– Tá pensando em que? Em suas fantasias?

Pensa consigo que ele só precisa ouvir o que quer ouvir.

– Já disse meu bem. Está com você sempre foi minha fantasia. O chato é que fantasias não devem ser realizadas senão deixam de sê-las.

– Não tem mais nenhuma?

– Confia em mim, você não vai querer ouvir.

– Me fala

– Vem cá meu…

Observação: Para os curiosos essa sou eu sim, mas não estou nua. Sempre quis ser modelo de algum conto, acho que agora casou bem. As demais  fotos da tentativa de ensaio encontram-se aqui rs.

Gerlandy Leão

 

 

As meninas na sala sorriem ao ouvir uma canção que selecionam para uma festa temática enquanto preparo o almoço na cozinha. Admiro-me: “- Não ouvia Gigliola Cinquetti há muito tempo”.

Uma me interroga debochadamente: “-Chicrete?”

Não fazia idéia da última vez que a ouvira, mas lembrava perfeitamente a primeira vez. Claro, tem a ver com amor. Dio, come ti amo.

A vida é assim: você ama um, mas é feliz com outro que te dará filhas e netos que ao crescerem farão uma festa temática e ouvirão na sala a música que lembra que você amou alguém.

Durante a vida você ama outros e aprende amar principalmente se ele for pai das meninas na sala que mesmo adultas, jamais deixarão de ser meninas. Mas nunca mais se ama como se amou aquele que lhe comprou o disco de vinil compacto da Gigliola Cinquetti. Pois esse amor é irresponsável. Se ele te convidar para pular da ponte, você pula; se ele convidar para jejuar, você faz; se ele convidar para ir embora, você vai. E não pensa em ninguém mais. Ele é aquela pessoa que faz você chorar e te faz refletir em vários momentos que não é feliz e que ele não te dará uma bela família como as meninas na sala. Mas não  tem opção. O que se pode fazer se toda vez que o vê você treme, o coração dispara e você adora o seu abraço e seu beijo?

Mesmo sofrendo, aceita noivar. Viver no interior tava difícil então ele vai buscar serviço em outra cidade e te deixa com a Gigliola. Dio, come ti amo! Só as várias cartas de amor que enviava e recebia faziam companhia. Cartas ridículas, mas como diz o poeta “não seriam cartas de amor se não fossem ridículas”. Ridículas como qualquer adolescente inconsequente que pensa que sabe o que é amor.

O tempo passa e você percebe que não quer mais ser ridícula e aprende que não pode esperar a vida toda por alguém só porque treme ao vê-lo, ou porque ele lhe presenteou com um disco compacto ou porque ele  escreve cartas sem mencionar a possível data de retorno. Você quer mais. Quer conhecer as meninas na sala que escutam Cinquetti para uma festa temática.

Finalmente envia a carta de despedida. Sabia que não aguentava. Você o ama, mas não quer mais. Ama, sente-se amada, mas não é feliz, então chora. Chora até desmaiar, e a desde então só volta a chorar quando as filhas e netos começam a nascer.

Você não recebe nem uma carta de volta, nem mesmo ele retorna desesperado e implora na porta da sua casa para reconsiderar. Ainda bem, senão você teria aceitado e hoje não seria feliz. Então conclui que ele entendeu o recado, pelo menos a vida não continuou como estava e por isso ele podia assumir outra mina e oferecer outra música que tivesse na moda ou quem sabe a própria canção de vocês dois. É uma linda canção de amor, tola ou brega como as cartas ridículas, mas linda.

Muitos anos depois quando já está casada com um cara legal, você encontra uma amiga que morava longe. E ela te confirma que vira o fogo queimando muitos papéis. Perguntando a ele o que significava aquilo, ele responde em lágrimas: “Estou queimando as mentiras”.

Não sei se, assim como eu, foi a última vez que chorou. Talvez seja feliz com uma pessoa legal que conheceu. Suas cartas apenas enterrei, mas ele queimou as minhas cartas como se fossem mentiras. Eu o amava, mas ouvir Gigliola enquanto olho as meninas na sala preparando a festa temática me faz mais feliz do que me jogar da ponte ou esperar por cartas para ler: “Dio, come ti amo”.

ginecologistajpg1

Amiga diz:
Ah…   babadinho para te contar
fui no gineco hj

Eu diz:
diga.  e aí? ta grávida. hahahahha
Amiga diz:
ai a médica me passou um exame de mama
grávida não, nunca!!!

Eu diz:
rs, mas e aí?
Amiga diz:
não deu nada na trans
Eu. diz:
ótimo
Amiga diz:
sim voltando. ai ela me pediu uma ultrasom da mama

Eu diz:
hum


Amiga diz:
mirmã hj eu vi q sou sem vergonha demais. o cara fazendo o exame na mama e eu gostando. Ele percebeu q eu tava gostando. Rs

Eu diz:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
to chorando de rir
Amiga diz:
ai começamos a conversar para q eu ficasse mais a vontade. Quando ele começou a passar o gel me arrepiei toda.
Eu diz:
eu saco . ai ai, tu é doida mesmo
Amiga diz:
kkkk, ai depois a sonda
Eu diz:
hahaha, tô dizendo, é doida
Amiga diz:
não sei se foi proposital mais ele passou uns 15 min sondando cada seio. teve uma hora q não aguentei e comecei a sorrir do nada.

Ele ficou todo encabulado se ele me convidasse para sair eu ia na horaaaa
Eu. diz:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. EU VOU MORRER!kkkkkk

Vou cair da cadeira de tanto rir louca.
Amiga diz:
sei q ele me deixou doidinha
Eu diz:
Safada! E  ele é bonito? é gostoso?
Amiga diz:
tô até agora doidinha.
Eu diz:
tu é louca mermã. Isso da um conto
Amiga diz:
é… gatinho e novo
Eu diz:
vou escrever sobre isso. hauahuahauahu
posso? Vou publicar no meu blog.
Amiga diz:
pode. Detalhe eu tava pelada na mesa, pq depois eu ia fazer a pélvica e depois a transvaginal
Eu diz:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mulher, tu não tem noção como eu to aqui imaginando essa tua cara. Vou colocar, mas não cito teu nome.
Amiga diz:
tá certo. Mas na hora da trans eu fiquei meio encabulada, só q depois ele me deixou a vontade.
mirma eu olhava nos olhos dele. ele sacou q eu fiquei afim
Eu diz:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
merma tu é louca mesmo
Amiga diz:
tanto q mal terminou o exame ele saiu correndo da sala
Eu diz:
Pau duro! Pau duro!  mermã tu tá é assim é? eu não consigo relaxar numa mesma do ginecologista. Seja homem ou mulher.
Amiga diz:
eu acho q eu tô é acostumada com uns médicos brutos, uns cavalos q quando aparece um gentil eu fico doidinha assim
Eu diz:
uma vez o cara passou o trambolho la bem por cima. eu achei estranho, pq até onde eu sei tem q gravar é la dentro. Mas eu era muito nova, e não sei, tem medico saliente.
Amiga diz:
tem mesmo
Eu diz:
quando eu era adolescente teve um que pegou nos meus seios de modo diferente, eu fiquei sem graça, mas não sabia o que falar.
Amiga diz:
eu quase gozo quando ele massageou meus seios
Eu diz:
kkkkkkkkk
Amiga diz:
mas esse cara não era saliente
Eu diz:
merma tu ta tarada, isso sim
Amiga diz:
ele tava para enterrar a cara dele na tela

Eu diz:
Melhor enterrar a cara em outro lugar. Rs. Mermã, já pensou se da uma doida e vcs começam a transar na hora?
Amiga diz:
opa na hora!!!
Eu diz:
cara seria muito doido, diferente.
Amiga diz:
ele era tímido demais. era casado
Eu diz:
hauahua, casado, mas não capado
Amiga diz:
olha eu nem sei se ele viu eu delirando alguma hora rs

Eu diz:
claro.
do jeito q tu é doida, deixava claro. Mermã to imaginando a cena aqui. será q tem filme sobre isso?
Amiga diz:
tem contos, filmes tb, mais foi massa, ai eu não gravei o nome dele,  pois eu fui na recepção saber o nome dele. fui atrás da enfermeira pra saber o nome dele e descobri é um nome difícil.

Amiga faz as tuas ultrasom e trans com ele. Por isso que lá é cheio de mulher

Eu diz:
hahah, é ruim. eu vou ficar péssima. eu prefiro mulher. Não gosto de homens, dá vergonha.  Seja bonito, feio ou velho.
Amiga diz:
hum… deixa de ser besta
Eu diz:
hahahha, besta pq? já pensou eu goste igual tu, não vou ficar tímida, ataco logo o rapaz de nome difícil
Amiga diz:
hauhauhauah. pode atacar, pq depois eu vou atacar tb. Oportunidade e ultrasons não vão faltar
Eu. diz:
cara daria um filme massa. Eu poderia gravar oh. ser a diretora .Como seria o nome do filme?
Amiga diz:
deixa eu ver… Imagens do prazer!!!!  pq os dois estavam gostando mais não tiravam o olho da telinha da ultrasom

Eu diz:
kkkkkkkkkkkkkkk, oh my God. Eu não pensaria em algo melhor.
Ai ai miga, quem te viu quem te ver
Amiga diz:
pois é. E eu fazendo juras q ia me comportar em 2009. Será q vou piorar em dias de cio….
é serio,  eu ando doidinha para dar

Eu diz:
comportar? tu?
Amiga diz:
é serio. Desde sexta eu acho
Eu diz:
quer nada, se quisesse teria pego o técnico de nome difícil

Moral da historia:

No final das contas so falamos.

Observação:

A conversa ficou tão legal que achei melhor transcrever e retirar o nome.

Há mais de um ano fiz  um post sobre Maria, mãe de Jesus e vez outra recebo e-mail ou comentários de ameaça. Já me irritei e dessa vez uma me chamou atenção. Não que ela seja a mais importante, mas pela a insistência dela. Não se conformou em  ver minha paciência em responder aqueles que tentam me corrigir ou evangelizar e continua na sua repetitiva luta em me converter.

Pensei em apenas responder nso comentários, mas creio que ficou longo e fica mais fácil dividir com os demais o que aconteceu. Só quero que fique claro, eu não sou má e nem como criancinhas.

Transcrevo o comentário descrito aqui

Quando comecei a ler o seu texto, durante todo o tempo orava a Deus pedindo o derramento do Espírito Santo sobre você, sem o qual vc. continuará assim (seca). Desculpe-me, mas vc. vai chegar ao ponto do esgotamento sem a presença do Espírito Santo (sei disto porque já passei por isto).
Pode ser teóloga, mas “não tem fé”!
Leu a Bíblia, mas não sentiu Deus agindo em sua vida através da sua Palavra.
Recomendo o exercício espiritual “A BÍBLIA NO MEU DIA-A-DIA DO PADRE JONAS ABIB”. PROVE E VEJA SE DEUS FALA OU NÃO EM SUA VIDA ATRAVÉS DESTE TRABALHO.
CONCORDO EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU COM O 1º COMENTÁRIO (ISABEL);
LEIA SABEDORIA DE SALOMÃO (CAP. 13, 1 à 9)
Sim, naturalmente vãos foram todos os homens que ignoraram a Deus, ……..

Quanto ao Dr. Augusto CURY, os frutos falam por si só. As suas obras são de uma espiritualidade indescritível.
Como psicólogo, analisou Jesus, e interpretou como o homem “Jesus” conseguiu superar os momentos limitrofes vividos e amar as pessoas como amou.
O preço dos seus livros são insignificantes. Até livros de bolso ele tem, com preços mais acessíveis ainda.

Deus a abençõe e que o Espírito Santo te ilumine.

Vamos por parte. Estava de recesso, por isso não respondi mais cedo.

Acredito que vai ficar repetitivo. É a história “vou falar de novo, novamente mais uma vez”.

Meire, não estou seca, só não mais compartilho da sua fé. Fique a vontade para pedir que o ES derrame sobre mim. O que eu acho engraçado é que ele é tão bonzinho que precisa que alguém que ore. Pense comigo, se ele fosse tão bom ou se tivesse tanto poder, ele não precisaria de sua oração. Aí você me diz, “mas depende da pessoa querer”. Sendo assim, sua oração é desnecessária, seja trabalhando pelo espírito santo ou por mim. A sua oração só faz bem a você, como o cristianismo que apesar de se esconder nessa história de amor ao próximo nada mais é que uma religião individualista. Veja se concorda comigo.

Vocês pregam não por amor ao próximo, mas porque é mandamento de Jesus e serão cobrados. Logo têm medo de queimar torrarem no fogo do inferno então vêm com o marketing e busca por novos fiéis. Veja sou boazinha, nem falo na possibilidade de terem as igrejas lotadas, com dizimistas e poder de decisão na sociedade, já que a maioria dessa seria composta de cristãos. Fui romântica, e creio que sejam boas pessoas que almejam ir para o céu.

Não os critico, mas ao mesmo tempo em que digo acreditar que apenas têm medo do tridente do cão (eu sei que isso não é citado na bíblia, mas é a cultura popular fazer o que né ), vejo que se aborrecem quando alguém é contrário aos seus pensamentos e o que fazem: “Espero que deus faça justiça”. Entende-se por justiça, o juízo final “onde ele virá não como advogado, mas como juiz, para nos sentenciar” (Sim Meire eu leio, estudo, acreditava na bíblia).

Ah, como adoram o sentimento de vitória. Melhor seria ver um descrente se convertendo às suas palavras e dando a sensação de certeza, de que não são palhacinhos, de que existe o que se crer. É bom a certeza que existe e que deus faz (é uma música da Cassiane que eu até cantei muitas vezes, bunitinha). Mas se a pessoa não se converter tem a outra possibilidade que enche seus olhos de alegria. A sensação de subir para o céu e sentir-se vingados ao ver os otários torrando aqui na terra para que falem: “bem que eu disse”. Parecem menininhos mimados: “Olha aí pai (deus), o pessoal só ta falando mal do sinhô, e você num vai fazer nada”.

Para encerrar sobre essa história de espírito santo e sobre suas falsas orações, espero que você fique bem. Se quiser orar, ore, o que você faz com seu tempo é assunto seu.

Pode ser teóloga, mas “não tem fé”!

Eu passaria muito tempo discutindo sobre fé. Mas prefiro substituir a fé pelo pensamento positivo pelo bem estar (não lembro se com hífen ou sem hífen, maldita Reforma ortográfica). Eu acredito na vida e tenho muitas dúvidas mesmo sobre ela, tenho dúvidas até sobre divindades. Se existem ou não, se foi feito pelo Unicórnio, pelo Chá ou pelo Papai Noel eu não sei, mas tenho uma certeza: o deus descrito na bíblia é tão lenda quando Saci Pererê. E a Bíblia é um belíssimo livro de ficção.

Ops, falei que a bíblia é ficção… então não me venha citar passagens tiradas de lá como se fossem verdades para eu aceitar. É a mesma coisa da minha irmãzinha me dizer, “comer cimento é bom porque eu digo que é”. Isso não tem lógica né. Aí você procura algumas passagens bíblicas estranhas e quer entender e simplesmente somos calados com frases de que existem coisas que não entendemos. Mais uma coisa que lembra minha irmãzinha: “Por que isso… Porque mesmo, porque sim”. Quem tem um mínimo de senso não se satisfaz com essa resposta.

Outra coisa, você trabalha com a idéia de haver apenas um deus e ignora todos os outros possíveis. Já parou para pensar que você é quase atéia… Você não acredita nos deuses africanos, assim como um ateu, não acredita em deuses hindus, assim como um ateu. Sendo cristã você só acredita em um deus a menos do que o ateu.

“Quando você entender porquê rejeita os outros deuses, entenderá porquê rejeito o seu…” Stephen Henry Roberts.

Dr Cury

Já disse, sou fã do cara. Ele vende o que escreve e se dar muito bem. Mesmo que venda barato ou pouco ele tem nome. Jesus dá dinheiro. Perceba, tudo que tem seu nome é vendável. E me fala em de espiritualidade… por favor, percebo que és mais ingênua do que meu sobrinho de 1 aninho. Cury analise um personagem fictício, assim como Capitu, Emma Bovary, Otelo, Odisseu dentre tantos outros famosos, só não tantos quanto Jesus, além de não despertarem tanto interesse quanto Jesus. Isso porque não foram vendidos como salvadores.

Este era um assunto que eu não queria tratar. Até porque se perceber no meu artigo eu trabalho com a hipótese dele surgir, outras pessoas são mais cruéis com vocês, pois defendem que ele não existiu. Eu digo que existiu, mas não sei se ressuscitou. No entanto como homem sua importância deu-se por Maria, ela sim, jogada de lado, representa o que a igreja quer. Uma mulher submissa e que tenha nada de sexo. Só que a própria bíblia se contradiz. Dou uma de Cury e analiso uma personagem fictícia com base em alguns relatos e o que concluo é que de santa ela não tinha nada, mas era forte, firme e decidida a criar um filho como salvador do mundo. A idéia pegou: até hoje tem gente que acredita.

Gerlandy Leão

Medo, muito medo. Desde de 1º janeiro tenho a sensação de ser perseguida por uma caneta para me corrigir. Tudo por culpa dessa Reforma ortográfica. E pensar que me orgulhava tanto por saber acentuar, aliás por no jogo do bicho da Língua Portuguesa só saber acentuar. Foi por isso que nunca mais vim, foi por isso que nunca mais escrevi nada. Mentira, é brincadeira. Estive ocupada e no tempo livre com preguiça.

O mês de dezembro foi maravilhoso, me apaixonei e desapaixonei; ganhei dinheiro e gastei tudinho; viajei e retornei; presenteei e fui presenteada; me preparei para ir embora e acabei ficando; emagreci e engordei novamente; revi Zeca Baleiro e conheci Reginaldo Rossi.

Dezembro foi legal, só confirmou o que o ano de 2008 significou para mim. Voltarei com mais frequência.

Gerlandy Leão

 

 

 

 

 

 

 

Parafraseando aquele filme, eu poderia ter morrido naquela hora. Tava fudendo meu estômago, mas realizava um desejo reprimido há tanto tempo. Passada uma semana meio tristonha, não me perguntem o por quê, mulher é cheia dessas coisas. Uns chama frescuras, outros tpm, eu nem sei. Tava assim, vazia, me faltando algo. Os últimos meses ajeitando a vida, inclusive a saúde, tive alguns alimentos tirados do dia-a-dia, (maldita gastrite!) apesar de ter o chopp liberado pelo médico (vai entender? Eu nem mesmo gosto de chopp. Ta, cachaça, vodka e afins sim). Mas hoje me veio uma vontade repentina de comer algo diferente. Limpava o fogão na cozinha e pensei alto: “que vontade de comer uma manga verde com sal”. Minha irmãzinha mais que depressa, me disse que arranjaria na hora que eu quisesse. Nem sabia que teria uma manga àquela altura do campeonato, mas tinha, criança sempre encontra algo nos lugares que você imagina ir, elas já foram e exploram. “Minha filha só se for agora”.

E ela apareceu com uma manga linda e deliciosa. E nos passamos para a danada. Nem quis saber onde diabos aquilo tinha aparecido, a minha droga, mas fui sincera: “não faça isso. Coma só esse pedacinho”. É um pagamento por tamanha generosidade, mas deixei bem claro que não era um comportamento saudável. Deve ter sido a manga mais deliciosa que já comi, não o seu sabor simplesmente, mas as lembranças que me despertou, e como viajei para infância. Acho minha irmã quieta na frente do que eu fazia em sua idade. Não é a toa q tenho as pernas cheias de cicatrizes, era só queda. Não consigo nem imaginar como ficaria se isso acontecesse com ela, eu morreria. Mas agora só cuido da saúde. Tão jovem , mas tão velha. Minhas aventuras se limitam a comer uma manga verde com sal. Fiquei tão emocionada que me engasguei, e pensei vou morrer. Tossi, tossi, mas finalmente voltei a respirar. Não morri, mas pensei que teria morrido feliz, fazendo algo que estava gostando.

Só não estou mais contente porque voltei a lembrar dessa minha aventura. To morrendo aqui de dor, mas a dor só não é maior porque estou feliz, to muito feliz.